"INOVAÇÃO E RIGOR, DA CONCEÇÃO À CONCLUSÃO"

Voltar

JOÃO MÁRIO P. ANDRADE

PRESIDENTE DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO

 

 

 

 

Engenheiro civil, formado em 1991 pelo Instituto Superior Técnico. Iniciou a sua carreira profissional no Departamento de Pontes e Estruturas Especiais da Profabril Centro de Projectos (na altura, a maior empresa portuguesa de engenharia), a convite do respectivo

director que era também professor catedrático no Instituto Superior Técnico, de quem foi

aluno.

 

Passado um ano e meio, durante os quais projectou diversas obras de arte e estações ferroviárias, a empresa convida-o para integrar os quadros da sua Delegação de Macau, onde ficou dois anos e meio. Neste período de actividade extremamente intensa e multifacetada, projectou algumas das obras mais importantes de Macau, vencendo também alguns concursos para pontes e viadutos. O contacto com empresas de diversas proveniências e  com a cultura asiática acabou por influenciar significativamente o resto da sua carreira.

 

Regressado a Portugal, ainda pela Profabril, liderou o projecto de Estruturas do Norte-Shopping no Porto e colaborou, como consultor, com a empresa americana “Kaiser Engineering”, na verificação dos projectos de diversas pontes e viadutos de acesso à Ponte Vasco da Gama. Seis meses após regressar a Portugal, assumiu a liderança do departamento de Pontes e Estruturas da Profabril, de onde saíram projectos especiais para vários países, incluindo a montagem de equipas de trabalho no exterior (Malásia e Macau) para projectos específicos.

 

Um ano depois foi promovido a Director Geral da Profabril Centro de Projectos. No seguimento da elaboração e apresentação de um plano de reestruturação para a empresa,   acabou por ser convidado pelo Presidente, e accionista, da empresa, para integrar o conselho de administração e responsabilizar-se pela gestão da mesma, apesar dos seus apenas 31 anos de idade e de ser um dos colaboradores mais jovens de todo o Grupo.

 

Cerca de três anos depois, nesta função, onde teve a oportunidade de continuar a contactar e trabalhar com grandes multinacionais, em vários países, e de participar em projectos internacionais de grande envergadura, decidiu criar a sua própria empresa de consultoria, projectos e fiscalizações. Esta etapa na carreira faz a transição para uma nova fase que o leva para Angola. Neste país, onde começa com a gestão do maior projecto industrial em 1 curso na altura, acaba por criar uma empresa de construção civil com características inovadoras: tudo o que construía era projectado na própria empresa. O arrojo de ser uma das primeiras empresas em Angola a participar no projecto de reconstrução, logo após o fim da guerra civil, permitiu-lhe rapidamente crescer e ganhar enorme notoriedade, tendo muitas das suas obras sido inauguradas pelo Presidente da República e/ou pelo Primeiro Ministro. A experiência de gestão de uma empresa com estas características, com cerca de setecentos e cinquenta colaboradores e obras espalhadas por todo o território, com todos os condicionalismos de um pais acabado de sair de uma guerra, foi extremamente exigente e enriquecedora.

 

A crise financeira internacional que estagnou por completo a economia angolana levou-o a terminar este ciclo e a abraçar um outro projecto aliciante: o de senior advisor para uma das maiores empresas estatais chinesas.  A troca de experiências profissionais e culturais inerentes ao exercício destas funções durante cerca de três anos proporcionou-lhe uma visão ainda mais alargada da realidade global. Estar inserido e participar, por dentro, na dinâmica de crescimento e evolução das empresas chinesas, na China, na Líbia, em Angola, em Moçambique, no Quénia, etc., foi uma experiência a todos os títulos excepcional. Neste período, esteve igualmente com um projecto societário no Brasil, o qual durou cerca de dois anos.

 

O regresso a Portugal e ao Grupo onde cresceu enquanto profissional, para ocupar o cargo de Presidente da Proman, que acumula com o de membro do conselho da holding que tutela o Grupo, é um desafio que encara com particular satisfação e enorme ambição.

CERTIFICAÇÕES

A PROMAN possui a qualificação, na classe 8, de gestor geral da qualidade de empreendimentos da construção (Decreto-Lei nº 310/90), emitida pelo Laboratório de Engenharia Civil, e tem em vigor os Sistemas de Gestão da Qualidade, Ambiente e Segurança certificados segundo os referenciais NP EN ISO 9001:2008; NP EN ISO 14001:2012 e OHSAS 18001:2007 para serviços de gestão e fiscalização de empreendimentos e revisão de projectos.

Proman s.a. - todos os direitos reservados  | 2015

 desenvolvido por: